Dante era fascinado pela multiplicidade de línguas. Ele apreciava também brincar com as línguas e os dialetos, tanto que na Divina Comédia existem dois fragmentos de línguas inventadas por ele, o idioma de Plutão (pape satàn pape satàn aleppe) e o de Nemrod, rei de Babel que construiu a famosa torre contra a vontade divina e que, ao ver Dante chegar em seu círculo infernal, a este se dirige num insulto colérico, ameaçador e incompreensível: «raphèl maì amecche zabì almi!».
 
Pode-se bem compreender o mau humor de Nemrod.

 

A ilustração de Gustave Doré apresenta o rei Nemrod de Babel no Inferno.

 

Ele estava lá, em sua derradeira zona infernal, submetido à infinita cólera do Onipotente, e tudo isto por quê? Por aquela bendita torre! E como se isto não bastasse, agora todos culpavam-no, dizendo que ele provocara a confusão das línguas.

 

Bem, nós do Dantepoliglotta queremos tomar uma posição em favor de Nemrod. Porque a confusão das línguas – ainda que aceitemos que ele realmente a tenha provocado – apresenta não so desvantagens, mas também enormes vantagens: é uma grande riqueza cultural. Toda língua tem uma musicalidade peculiar, um potencial artístico característico, uma produção literária própria. E toda produção literária, não importa se grande ou pequena, é potencialmente capaz de multiplicar-se pelo grande número de línguas existentes.
 
Com a Divina Comédia, essa multiplicação alcançou dimensões deveras impressionantes. O sítio Dantepoliglotta , que dispõe de um património de aproximadamente duzentas edições traduzidas da Divina Comédia em sessenta línguas e dialetos diferentes, busca homenagear justamente a universalidade de Dante com a divulgação dessa riqueza cultural para o público da rede. Para o deleite do amante da Divina Comédia, para a alegria de todo aquele que adora as línguas e os dialetos e para o consolo do rei Nemrod de Babel.
 
Giuliano Turone
Administrador de Dantepoliglotta
 
* Dantepoliglotta nasce em outubro de 2012 e almeja ser um sítio em permanente evolução. As edições dantescas à disposição (presente e futura) do sítio serão apresentadas paulatinamente na rede, ao menos o frontispício e uma ou mais páginas do texto. Quanto às edições ilustradas, delas serão colocadas no sítio uma ou mais figuras. Não faltará aqui ou acolá um aprofundamento, uma informação curiosa ou uma anedota a vagar entre história, mitologia, glotologia, literatura e belas-artes. Neste momento começaremos – ça va sans direcom o cântico do Inferno.